Tratamento da COVID-19 na China

 

Um vírus, de seu nome SARS-CoV-2, sucessor de um outro coronavírus apelidado de SARS (Severe Acute Respiratory Syndrome) que surgiu em 2003, foi identificado em Dezembro de 2019, na Província de Hubei, mais precisamente em Wuhan e a partir deste local espalhou-se para o resto  do globo.

Sintomas como Febre, Tosse, e Dificuldade respiratória são a tríade que caracteriza maioritariamente esta condição clínica.

Alguns sintomas podem acompanhar os principais, tais como:

  • Dores Musculares
  • Diarreia
  • Dor de garganta
  • Perda de olfato (anosmia)
  • Dor abdominal

As consequências mais graves desta condição são pneumonia viral e falência multi-órgãos.

À data de 4 de Abril de 2020, registavam-se mais de 200 países afectados por esta pandemia e 1.2 milhões de pessoas infectadas. Dos quais 61 mil mortos e 233 mil recuperados. (worldmeters.info)

 

Portugal, a 4 de Abril, apresentava 81.087 casos suspeitos, 10.524 casos testados para a Covid-19, 266 mortos e 75 casos recuperados.

Os sintomas presentes na população Portuguesa são:

  • Tosse – 60%
  • Febre – 47%
  • Dores Musculares – 32%
  • Cefaleia – 28%
  • Fraqueza Generalizada – 25%
  • Dificuldade Respiratória – 18%

( Dados referentes ao Relatório de Situação da DGS a 4/abril 2020 – aplicando-se a 78% dos casos confirmados)

Foi na China que surgiu esta Pandemia onde se registaram  81.639 casos, 3.326 mortes e 76.755 casos recuperados. Largamente ultrapassada pelos EUA, Espanha, Itália, Alemanha e França. (worldmeters.info)

No seguinte vídeo podemos observar alguns exemplos de como os hospitais, incluindo os de campanha, utilizaram a Medicina Tradicional Chinesa para auxiliar o seu povo e também algumas estatísticas aplicadas ao controlo e tratamento desta doença viral.

 

 

A quarentena e o isolamento, para contenção da epidemia, foram indispensáveis para conter a propagação do vírus numa população de 1.386 biliões de pessoas.

No tratamento dos doentes infectados com Covid-19 a estratégia da China foi diferente do resto do Mundo. A China integra os dois sistemas de Medicina:a Medicina Tradicional Chinesa e a Medicina Ocidental e foi esta sinergia que deu frutos.

Na Medicina Tradicional Chinesa a prescrição de Matéria Médica, mais conhecida por Fitoterapia Chinesa, tem um papel importante tanto no tratamento de condições clínicas, bem como na manutenção de um estado de saúde robusto.

São as plantas combinadas entre si e processadas de determinada forma, que permitem o seu efeito terapêutico. A prevenção foi amplamente fomentada na população através da Prescrição de Yu Ping Feng. Cujo principal propósito é a Tonificação do Qi do Baço e do Pulmão e a Eliminação de Vento patogénico externo.

A MTC vê a saúde como um estado de constante adaptação e harmonização, onde o corpo resiste através do “Zheng Qi” (Qi correcto) contra um factor patogénico “Xie Qi” (Qi perverso), como vírus e bactérias. Caso uma doença invada o corpo humano, este tem a capacidade de se reconstruir e recuperar, caso os mecanismos internos estejam disponíveis para tal. As prescrições de Acupunctura e de Fitoterapia Chinesa visam esse equilíbrio.

Consideramos que a sinergia entre Medicina Convencional e a MTC é necessária para a Saúde de todos.

Juntos por Portugal.